segunda-feira, 29 de dezembro de 2008

Com que sonha essa mulher?

O que ela espera dos homens?

O que ela quer e pretende,

Daquele que chamará de seu?

Será que ela mesma sabe?

Será que ela já se compreendeu?

Há que se cuidar menina

Com aquilo que se pede a Deus,

Pois ele pode nos atender.

E nos atende todo dia,

Mesmo sem a gente saber.

E o que nós temos hoje,

Foi o nosso querer de ontem

Mesmo quando a gente já se esqueceu.

Fazemos pedidos profundos,

No silencio do nosso coração.

Queremos com urgência,

Temos tanta necessidade,

De um amor assim assado,

Que somente tempos depois,

Talvez nos será dado.

Quando já somos outros,

E no degrau seguinte

Lá mais acima, nos encontramos.

E já queremos outras coisas,

Fixamos novas metas

Diversas e mais elevadas,

Que o presente recebido,

Em que pese atrasado,

parecerá sempre menor,

Pequeno e inadequado.

Assim somos com os amores,

Com os recebidos e com os sonhados.

Quando estamos apaixonados

Recebemos a prenda inteira

E nos deixamos ficar ao seu lado.

O tempo passa e queremos algo mais

Pois o que já temos não nos basta

E o nosso ideal se gasta,

O coração sonha profundo,

Pedindo nova resposta.

Ver-lhe assim, em duvidas mergulhada,

Faz-me querer saber dos pedidos,

Que a Deus tem endereçado,

No silencio do seu pensamento

Ou na força do seu coração.

Quisera conhecer seu segredo,

Para saber se o tenho a mão

Mas quem sou eu pra saber de ti

Quando tão pouco sei dos meus.

Um comentário:

Adelly disse...

Pura verdade, Mestre mago!!!