quarta-feira, 5 de julho de 2006

AS TENTAÇÕES DE SANTO ANTÃO São muitos os caminhos grande o perigo de se perder, em um volta da sombra ou no entardecer. São muitos os caminhos tramas, rodilhas, redil, redemoinhos vorazes, escondidos remansos de identificação sutil. São muitos os caminhos os para fora, exteriores e os outros de dentro emoções, sentimentos, humores São muitos os caminhos. Um só deles leva ao meu fim O perigo de me perder é que me faz sofrer assim...

Um comentário:

Nanda disse...

tradução dos meus pensamentos!! ou será dos meus sentimentos? rsrs milhões de caminhos mesmo, turbilhão nessa vida doida.. e aí fica aquela velha questão: andarilho ou ermitão? a intensidade das vidas é tamanha, a percepção às vezes passa despercebida.. às vezes temos insights, vislumbres! há esperança(!)... do não perder, ou do perder-limite..!!?! afinal, neuróticos que somos, precisamos de algo mais que continência! rsrsrs bom poema =)